Início » Candidíase feminina: o que é? Como tratar?

Candidíase feminina: o que é? Como tratar?

Um dos problemas ginecológicos mais comuns é a candidíase feminina.

Entretanto já te adianto que caso você apresente os sintomas não precisa ter vergonha ou tratar como tabu.

Dessa forma, aqui nesse artigo iremos trazer tudo o que você precisa saber para caso esteja com esse probleminha.

candidiase feminina: o que é? como tratar?

O que é a candidíase? Quais são as causas?

A candidíase feminina se trata de uma infecção vaginal causada pelo fungo Candida albicans.

Sem dúvidas, a vagina acaba sendo uma região super vulnerável a infecções.

Vou trazer para vocês alguns motivos que fazem essa doença tão chatinha aparecer…

Antes de mais nada, quero lembrar que a maioria das mulheres possuem normalmente o fungo em sua flora vaginal.

Podendo ela inclusive estar ali mas não apresentar nenhum sintoma.

Geralmente, a candida trará problemas apenas quando estiver associada a algum desequilíbrio.

Acabam surgindo sintomas por exemplo quando essa mulher apresenta alguma queda na imunidade.

Como se a imunidade fosse um exército e quando acontece essa queda a quantidade de soldados diminui, tornando o seu “território” (vulgo, corpinho rs) mais vulnerável a ataques.

Essa famosa imunidade pode ser afetada por vários fatores…

Principalmente devido a má alimentação, sedentarismo, outras infecções, consumo de antibióticos ou corticoides, entre outras…

Não apenas essas coisas citadas acima, mas também mulheres com diabetes mellitus ou com glicemia alta tem tendência maior a apresentarem esse distúrbio.

Com certeza, mais um motivo para mantermos de modo geral a saúde em dia.

O estresse pode ser uma das causas também, portanto trata de cuidar desse humor e dessa ansiedade viu. 🙂

Da mesma forma, a gravidez pode ser a causa do aparecimento dessa doença. Principalmente devido a explosão de estrogênio que torna o ambiente bem propício para a Candida.

Além disso, apesar de não ser diretamente uma DST, o sexo ainda pode ser um fator de risco.

Nesse sentido muitas meninas começam a apresentar desequilíbrio vaginal e ter sintomas quando iniciam a vida sexual.

Bem como o consumo do anticoncepcional que pode despertar o aparecimento dos sinais da doença.

Apesar de não ser algo cientificamente comprovado, existe a associação da doença com o uso de roupas apertadas ou hábitos higiênicos.

Dessa forma, devemos cuidar sempre da higiene vaginal afim de manter o ph adequado e evitar a multiplicação de fungos ou bactérias indesejáveis.

E do mesmo jeito, roupas que são apertadas por exemplo de lycra (como calça, bermuda ou shorts de academia), calcinhas que não sejam de algodão devem ser evitados.

Igual qualquer tipo de biquíni ou roupa molhada.

Em todas essas situações ocorre um “abafamento”, afetando a temperatura vaginal e facilitando o aparecimento de fungos.

Ah, e vale lembrar que pelo contrário do que a maioria pensa: a parte interna da vagina NÃO DEVE ser higienizada.

Nós devemos lavar apenas a vulva, que é a parte externa… caso tenha dúvidas nisso veja esse nosso artigo aqui.

Vale lembrar que o corrimento quando transparente é totalmente normal, pois é ele que tem a função de fazer essa higiene natural interna da vagina.

fungo vaginal... como tratar?

Quais são os sintomas? Como diagnosticar?

Antes de mais nada temos que lembrar que o diagnóstico certeiro deve ser feito sempre por um médico especialista.

Entretanto devemos conhecer os sintomas para saber em que momento devemos procurar ajuda.

Os sintomas da candidíase podem aparecer em diversos níveis: ora podendo ser quase imperceptível, ora sendo um incômodo praticamente insuportável.

As indicações são parecidas com a maioria das doenças associadas a vagina, por isso também a necessidade de ajuda clínica, pois pode ser confundido.

Por mais que temos muito a falar sobre essa enfermidade, não vamos enrolar… os sintomas são:


  • coceira e ardência na região da genitália: fica uma sensação ruim e você sente necessidade de coçar ou de pressionar para parar de arder;
  • inchaço com vermelhidão: pode estar presente em toda a parte íntima e ainda mais evidente na região do clitóris e dos grandes lábios vaginais ;
  • corrimento constante: de cor branca e consistência grossa e pode ser formado por “coalhos”, dando uma aparência de leite coalhado;
  • Queimação ou ardência: podendo acontecer principalmente na hora de fazer xixi;
  • Desconforto e incômodo: aparece de forma constante e pode ser mais acentuado na hora do sexo.

Os sintomas duram até 10 dias na maioria das vezes.

Se é na maioria… e o resto?

Bom, essa belezinha é uma doença que pode acontecer de forma repetida, ou seja, várias vezes em um mesmo ano.

Nessa situação a doença é chamada de candidíase recorrente.

corrimento: um dos sintomas da candidíase feminina

Como tratar a candidíase feminina?

Apesar de ter falado muitas vezes, não vale reiterar, quando apresentar os sintomas não hesite na hora de buscar ajuda médica.

A candidíase feminina é um problema comum, mas ainda assim o não tratamento podem resultar em complicações.

Normalmente a medicação passada pelos ginecologistas é algo bem simples e com bons resultados desde o começo.

No momento em que ocorre o diagnóstico eles receitam:

  • pomadas com componentes antifúngicos: usadas de forma interna, é inserida com uma “seringa”. Não é desconfortável e alivia MUITO a ardência.
  • remédio antifúngico: o mais comum se chama fluconazol, é em forma de comprimido e ajuda a eliminar esse fungo.

Deve-se lembrar que caso você tenha um parceiro fixo, ele também deve fazer o tratamento.

Isso evitará que ele tenha problemas com isso, e mais ainda: que ele não te “recontamine” depois que você sarar.

Porém, para você, mais do que o uso de remédios, deve-se cuidar dos hábitos diários também.

Principalmente durante as “crises” aconselha-se evitar o uso dos absorventes internos (o.b.),  eles podem ajudar com uma nova contaminação.

Além disso, muitas pessoas por aí (principalmente as mais antigas, alô vó!) recomendam o tal do banho de assento…

Eu assumo que de todas as vezes que tive candidíase nunca testei… Mas não custa nada falar aqui né?

Como funciona o banho de assento?

Basicamente se trata de sentar em uma bacia limpa que contenha água e algumas ervas medicinais ou ingredientes que te ajudarão a sarar.

Para os ingredientes usa-se bastante plantas como: camomila, tomilho, alecrim, entre outras.

Algumas mulheres optam por outras opções como: vinagre de maçã, água oxigenada ou até bicarbonato de sódio.

Confira aqui cada uma dessas receitas para se livrar de vez desse incômodo.

Lembrando que apesar de ser uma coisa muito falada por ai, não procurei por nenhuma comprovação científica para esses tratamentos com banho de assento.

Ademais, todos os fatores que podem ser causas da candidíase devem ser evitados, para evitar o agravamento e também uma recorrência.

Portanto deve-se:

  • evitar usar roupas/biquínis molhados ou apertados;
  • evitar realizar ducha higiênica (basicamente seria limpar a vagina por dentro, lembra do que falei? apenas área externa mana!);
  • não usar calcinhas que abafem a vagina;
  • cuidar da saúde fazendo exercícios e tendo uma alimentação balanceada;
  • evitar o uso excessivo de antibióticos ou corticoides (tome apenas quando realmente necessário);
  • usar sempre camisinha, independentemente de ter ou não um parceiro fixo (acredite, quando falamos de dst’s, a candidíase é o menor dos problemas);

Como eu disse antes, a candidíase feminina pode ter uma recontaminação…

Para evitar isso você pode cuidar dos hábitos conforme falamos aqui.

E não esqueça de lavar suas roupas íntimas de uma forma que evite a proliferação de bactérias ou fungos, como ensinamos aqui.

Leu nosso artigo e acha que está com candidíase? Procure sua ginecologista o quanto antes, ela vai saber certinho como te ajudar 🙂

Espero que você melhore e não esqueça de mandar esse artigo pras manas pra ninguém sofrer com esse desconforto por ai! 😉 #juntassomosmaisfortes

 

 


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Voltar ao topo